Metodologia para avaliação ultrassonográfica da biometria uterina na fêmea bovina

Víctor Gómez-L, Jhonata Pereira, Denise Okano, Giancarlo Dos Santos, Marco Marcondes, Laercio Benjamin, Jose Guimarães, Camilo Ramírez-L

Resumen


Objetivou-se avaliar uma metodologia para mensurar a espessura endometrial e diâmetro dos cornos uterinos. Para o qual, os cornos uterinos foram divididos em três regiões. A partir do septo intercornual até o início a curvatura maior, foi considerada a primeira região. A partir da curvatura maior até o início do ápice do corno segunda região, e extremidade livre do corna a terceira região. Mensurou-se a espessura endometrial e o diâmetro dos cornos em animais in vivo e nos órgãos genitais dos mesmos post mortem. Foram utilizadas cinco vacas sexualmente maturas da raça Holandesa, criadas em manejo Losing-House. Os dados quantitativos foram analisados pela ANOVA e as médias comparadas pelos testes de Tukey ou pela análise não paramétrica comparando as médias pelo teste de Kruskall Wallis. Os valores médios não apresentaram diferenças para as características avaliadas no animal in vivo comparadas aos obtidos post mortem (P>0,05). Nas mensurações obtidas, a terceira região mostrou valores médios semelhantes para diâmetro (21,0±2,6 mm - 22,9±2,8 mm) e espessura endometrial de ambos cornos (10,4±4,9 mm - 10,8±5,2 mm). De igual forma os valores obtidos para espessura e diâmetro de ambos cornos uterinos da terceira região mostrou-se semelhante aos valores obtidos na segunda e primeira região. Já os valores da segunda região diferiram dos obtidos na primeira região (P<0,05). Dessa forma, a obtenção de imagens ultrassonográficas em cortes transversais e a mensuração das biometrias uterinas a partir da bifurcação até a curvatura maior, mostra-se eficiente e representativa da espessura endometrial e diâmetro dos cornos uterinos como um tudo.


Palabras clave


Diâmetro dos cornos uterinos; espessura endometrial; fertilidade; holstein.

Texto completo:

PDF

Referencias


ALMEIDA, O.M.; PINHO, R.O.; LIMA, D.M.; MARTINS, L.F. 2013. Endocrinologia da puberdade em fêmeas bovinas. Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária 11 (20):1-13.

ANDERSON, K.J.; LEFEVER, D.G.; BRINKS, J.S.; ADDE, K.G. 1991. The use of reproductive tract score in beef heifers. Agri-practice 12 (4): 19-26.

BARLUND, C.S.; CARRUTHERS, T.D.; WALDNER, C.L.; PALMER, C.W. 2008. A comparison of diagnostic techniques for postpartum endometritis in dairy cattle. Theriogenology 69:714-723.

CARDONA, J.A.; MONTES, J.C.; CASTAÑO, F.A.; BLANCO, R.D.; LEÓN, V.E. 2013. Frequência da dermatobiose cutânea bovina em vacas da raça Holandesa de uma granja leiteira de Viçosa (MG, Brasil). Revista CES Medicina Veterinaria y Zootecnia 8 (1):82-94.

CORREDOR-CAMARGO, E.S.; PAÉZ, E.M. 2012. Aplicaciones de la ultrasonografía en la reproducción bovina: revisión. Revista Ciencia y Agricultura 9 (2):29-37.

DELLMANN, H.D.; BROWN, E.M. 1982. Histologia veterinária. Guanabara, Rio de Janeiro. Brasil.

DESCÔTEAUX, L.; CHASTANT-MAILLARD, S.; GNEMMI, G.; COLLOTON, J.; BOLLWEIN, H. 2010. Practical Atlas of Ruminant and Camelid. Reproductive Ultrasonography Bovine Uterus. Université de Montréal, Canada.

GINTHER, O.J. 1998. Ultrasonic imaging and animal reproduction: Cattle, Book 3. Equiservices Publishing. Wisconsin.

HAFEZ, E.S.E.; HAFEZ, B.; 2004. Reprodução Animal. 7.ed. Manole, São Paulo. Brasil.

MIHURA, H.; CASARO, G. 1999. Selección de vaquillonas de reposición en rodeos de cría. Revista Taurus 1 (4):34-39.

MONA, J.; PAVANELO, J.R.; ALVES, L.; MEDEIROS, D.E.; CARVALHO, L.M.; PACHECO, G.; FERREIRA, R.M.; AYRES, H.; BARUSELLI, P.; PALMA, F.; PAPA, P.C. 2014. Treatment with eCG Decreases the Vascular Density and Increases the Glandular Density of the Bovine Uterus. Reprodução Domestica Animal 49:453–462.

MONTANHOLI, Y.R.; BARCELLOS, J.O.; BORGES, J.B.; DA COSTA, E.C.; WUNSH, C.; PRATES, E.R. 2004. Ganho de peso na recria e desempenho reprodutivo de novilhas acasaladas com sobreano. Pesquissa agropecuaria brasileira 39 (12):1253-1259.

MONTEIRO, F.M.; MERCADANTE, M.E.; BARROS, C.M.; SATRAPA, R.A.; SILVA, J.A.; OLIVEIRA, L.Z.; SARAIVA, N.Z.; OLIVEIRA, C.S.; GARCIA, J.M. 2013. Reproductive tract development and puberty in two lines of Nellore heifers selected for postweaning weight. Theriogenology 1 (8):10-17.

POLAT, B.; CENGIZ, M.; CANNAZIK, O.; COLAR, A.; ORUC, E.; ALTUN, S.; SALAR, S.; BASTAN, A. 2015. Endometrial echotexture variables in postpartum cows with subclinical endometritis. Animal Reproduction Science 155:50-55.

PIERSON, R.A.; GINTHER, O.J. 1987. Ultrasonographic appearence of the bovine uterus during the estrous cycle. Journal of the American Veterinary Medical Association 190 (8):995-1001.

ROBSON, C.; MAGLIETTI, C.; LÓPEZ, S.; VOGEL, O.; CELSER, 2007. Grado de desarrollo reproductivo (gdr): su utilización en vaquillas entoradas a los 18 meses. Corrientes, Noticias y Comentarios 417:1-4.

SOUZA, A.H.; SILVA, E.P.; CUNHA, A.P.; GÜMEN, A.; AYRES, H.; BRUSVEEN, D.J.; GUENTHER, J.N.; WILTBANK, M.C. 2011. Ultrasonographic evaluation of endometrial thickness near timed AI as a predictor of fertility in high-producing dairy cows. Theriogenology 75:722–733.




DOI: https://doi.org/10.24188/recia.v9.n2.2017.549

Métricas de artículo

Vistas de resumen
82




Cargando métricas ...

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Licencia Creative Commons
Revista Colombiana de Ciencia Animal - RECIA está distribuido bajo una Licencia Creative Commons Atribución-CompartirIgual 4.0 Internacional.
 
Sistema de Bibliotecas
Biblioteca Pompeyo Molina
Universidad de Sucre